quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Filtro dos sonhos

Arte Regional - Filtro dos Sonhos


Esse filtro ficou bem grande, foi realizado com estrutura de bambu, fio encerado, contas
e pena de pavão. Quanto a música um pouco de originalidade e representação cultural.

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

                                       Pulseiras Macramê



Se preferir fazer e não comprar apreciem a arte terapêutica de realizar uma peça, você não consegue parar mais quando percebe o quanto é capaz. Experimente!
Bienal de artes SP 2012



Instalação intervenção identificação superação idealização procuração inspiração finalização. 


sábado, 23 de fevereiro de 2013

Cinema Nacional

Narradores de Javé é um filme brasileiro de 2003, do gênero drama, dirigido por Eliane Caffé.

Sinopse
A pequena cidade de Javé será submersa pelas águas de uma represa. Seus moradores não serão indenizados e não foram sequer notificados porque não possuem registros nem documentos das terras. Inconformados, descobrem que o local poderia ser preservado se tivesse um patrimônio histórico de valor comprovado em "documento científico". Decidem então escrever a história da cidade - mas poucos sabem ler e só um morador, o carteiro, sabe escrever.Depois disso, o que se vê é uma tremenda confusão, pois todos procuram Antônio Biá, o "autor" da obra de cunho histórico, para acrescentar algumas linhas e ter o seu nome citado.

Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=rMLLtKrVOZg


Na minha opinião o gênero de drama inclina-se mais para a comédia, com uma mistura de atores e figurantes da região, acostumados com àquele sotaque e percorrendo o mesmo caminho dos seus antepassados, construindo  a história que lhes faltava.

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

                                                   São Paulo - Bienal de arte 2012
                                                         Arte Visual - Instalação

Bienal de Artes 2012

                                                     São Paulo - Bienal de Artes 2012
                                                    Intervenção - uma volta ao passado

domingo, 17 de fevereiro de 2013

Praia da enseada em Ubatuba SP 
Um passeio para refrescar a mente e inspirar a vida.

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

  A iminência das poéticas
                   Esse vídeo é de uma instalação na bienal de artes em São Paulo no final de 2012
 É uma pequena amostra do que se encontrava no local, meio a tantos trabalhos. A intenção do artista sem dúvida é a reflexão, mas para mim,  foi também de criar um visual lúdico e mágico visto a distância, devido ao colorido. No entanto essas cores são extraídas a partir de cores dos processos de desenvolvimento de hematomas nos seres humanos. E ao aproximar-nos encontramos fotos de ditadores existentes na história da humanidade, dando uma sensação de desconforto pela situação, mas ficando admirado pelo mergulho do artista no fato e tradução para tal linguagem num caso tão sério que é a dor causada por outro.

Mais vídeos da bienal: youtube/ivanneder

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Estátua - Bandeirante em Taubaté SP
                                                                                           Foto - Ivan Neder


                                                                                                                                                      

Denominam-se bandeirantes os sertanistas do Brasil Colonial, que, a partir do início do século XVI, penetraram nos sertões brasileiros em busca de riquezas minerais, sobretudo a prata, abundante na América espanhola, indígenas para escravização ou extermínio de quilombos.
A maioria dos bandeirantes eram descendentes de primeira e segunda geração de portugueses em São Paulo, sendo os capitães das bandeiras de origens européias variadas, havendo não só descendentes de portugueses, mas também de galegos, castelhanos e cristão-novos, além de alguns casos de parentescos genoveses, bascos, sarracenos, napolitanos e toscanos, entre outros . Compunham minoritariamente as tropas segmentos de índios(escravos e aliados) e caboclos (mestiços de índio com branco) normalmente chegando a no máximo vinte por cento do contingente total e executando as tarefas secundárias da tropa, tal qual a manutenção dos mantimentos e cuidados dos animais de abate.
Informa Afonso d'Escragnolle Taunay, citando uma carta do jesuíta Justo Mancila, que a segunda bandeira, a de Nicolau Barreto, em 1602, foi composta por 270 portugueses, número elevado, considerando que São Paulo tinha poucos habitantes: "No ano de 1602, saiu de São Paulo a buscar e trazer índios, Nicolau Barreto com o pretexto de buscar minas e levou em sua companhia 270 portugueses e três clérigos".
Além do português, os bandeirantes também falavam a língua tupi e, com ela, nomearam vários lugares por onde passaram, denominações estas que, muitas vezes, persistem até hoje.








Pintura em mdf - Conheça um pouquinho da história do Saci Pererê

O Saci-Pererê é uma lenda do folclore brasileiro e originou-se entre as tribos indígenas do sul do Brasil.
O saci possui apenas uma perna, usa um gorro vermelho e sempre está com um cachimbo na boca.
Inicialmente, o saci era retratado como um curumim endiabrado, com duas pernas, cor morena, além de possuir um rabo típico.
Com a influência da mitologia africana, o saci se transformou em um negrinho que perdeu a perna lutando capoeira, além disso, herdou o pito, uma espécie de cachimbo, e ganhou da mitologia européia um gorrinho vermelho.
A principal característica do saci é a travessura, ele é muito brincalhão, diverte-se com os animais e com as pessoas. Por ser  muito moleque ele acaba causando transtornos, como: fazer o feijão queimar, esconder objetos, jogar os dedais das costureiras em buracos e etc.
Segundo a lenda, o Saci está nos redemoinhos de vento e pode ser capturado jogando uma peneira sobre os redemoinhos.
Após a captura, deve-se retirar o capuz da criatura para garantir sua obediência e prendê-lo em uma garrafa.
Diz também a lenda que os Sacis nascem em brotos de bambus, onde vivem sete anos e, após esse tempo, vivem mais setenta e sete para atentar a vida dos humanos e animais, depois morrem e viram um cogumelo venenoso ou uma orelha de pau..
http://www.brasilescola.com/folclore/saci-perere.htm



Filtro dos sonhos com motivo Religioso


 Peça em vime, cetim, cordonê e gesso


Um dos mais reconhecidos símbolos da paz é a POMBA  BRANCA. A sua origem data história de Noé e da sua Arca. Um desses episódios é narrado no capitulo 8 do  Gênesis, primeiro livro do Velho Testamento. Noé, que esperava na Arca o fim do
dilúvio, mandou um animal mensageiro para ver se as águas haviam baixado. O primeiro escolhido foi o corvo, que ficou voando para lá e para cá e perdeu a oportunidade de ganhar a simpatia da humanidade. Então Noé enviou uma pomba, na primeira viagem, ela não encontrou nenhum lugar para pousar. Sete dias depois, foi novamente solta e retornou com um ramo de oliveira no bico. Isso, de acordo com a narrativa bíblica, simbolizava a PAZ entre DEUS e os homens ”Além disso, o ramo de oliveira significava também garantia de alimentos de remédios e da benção divina.”
Assim que Jesus foi batizado, o espírito de Deus desceu sobre ele sobre em forma de uma pomba. Desde então, a pomba é associada ao Espírito Santo.
Apesar de não haver menção de cor destas pombas na bíblia, os costumes da época explicam porque, nas representações elas sempre são brancas. Outra história bíblica também confere à ave a imagem de imensidão ternura e Paz.
A cor branca também indica ausência de cores representando a luz e a pureza. Desta forma, a pomba da paz teve um impulso diante das guerras nos séculos XX, simbolizando a serenidade. A milhares de anos o ramo de oliveira representa a Paz e a boa vontade, por isso que ela aparece com  uma pomba branca.  No inicio dos anos 60 o pintor espanhal Pablo Picasso eternizou a pomba branca como símbolo da Paz em uma série de gravuras que se tornaram famosas mundialmente.
Outros artistas também ajudaram a popularizar o ícone, que foi utilizado em manifesto e tratado internacionais, como o congresso da Paz de 1949 realizado em  Paris.
Observação: diz a lenda que o diabo e as bruxas podem se transformar em qualquer pássaros, exceto em uma pomba branca.

                              Fonte; http://www.semprealegria.com/blog/a-pomba-branca-como-simbolo-da-paz/





                                                                  Filtro dos Sonhos


Peças com vime, fibra de coco, junco, vime, bambu, pedra e cordão encerado.

"Uma aranha fiava sua teia próximo à cama da avó (Nokomi). Todos os dias ela observava a aranha trabalhar. Alguns dias depois, o neto entrou e, ao ver a aranha na teia, pegou uma pedra para matá-la. Mas a avó não deixou. O garoto achou estranho, mas respeitou o seu desejo. A velha mulher voltou-se para observar mais uma vez o trabalho do animal e, então, a aranha falou: Obrigada por salvar minha vida. Vou dar-lhe um presente por isso. Na próxima Lua nova vou fiar uma teia na sua janela. Quero que você observe com atenção e aprenda como tecer os fios. Porque esta teia vai servir para capturar todos os maus sonhos e as energias ruins. O pequeno furo no centro vai deixar passar os bons sonhos e fazê-los chegarem até você.
Quando a Lua chegou, a avó viu a aranha tecer sua teia mágica e, agradecida, não cabia em si de felicidade pelo maravilhoso presente: Aprenda, dizia a aranha. Finalmente, exausta, a avó dormiu. Quando os primeiros raios de sol surgiram no céu, ela acordou e viu a teia brilhando como jóia graças às gotas de orvalho capturadas nos fios. A brisa trouxe penas de pomba que também ficaram presas na teia, dançando alegremente e, por último, um corvo pousou na teia e deixou uma longa pena pendurada. Por entre as malhas da teia, o Pai Sol sorria alegremente. E a avó, feliz, ensinou todos da tribo a fazerem os filtros de sonhos. E até hoje eles vêm afastando os pesadelos de muita gente. Quem sabe não vai funcionar com você também? "

                                              Fonte: http://somostodosum.ig.com.br/conteudo/conteudo.asp?id=05394




                                                                        Aviso do vento



Filhos do vento, mensageiros dos ventos, sinos de anjos, sinos,  móbiles,  carrilhões de metal, não importa como sejam chamados, estes objetos sonoros encantam e harmonizam ambientes.
São acessórios de harmonização que ajudam a dissipar as energias negativas e a atrair as vibrações positivas. suas ondas sonoras ou vibrações contribuem para se alcançar a tranqüilidade doméstica. Além disso, levam um tipo de embelezamento diferente para os cômodos onde estão dispostos: um pouco da magia do oriente para dentro da sua casa.
Eles devem ser colocados onde houver passagem de vento para que não fiquem parados, a função é se movimentar com as correntes de ar e , assim, espalha suavemente o seu encantamento. ao escolher seu mensageiro, escolha aquele que desperte seu interesse, sem seguir padrões, é preciso que seja criado um elo entre você e o mensageiro para que seus objetivos de harmonização sejam alcançados, pois não adiante ter algo em sua casa que o deixe irritado. você pode colocá-los onde quiser desde que sejam atingidos o tempo todo por correntes de ar.
Os mensageiros dos vê. Se adquirir um com um cristal na extremidade, as cores do arco-íris serão refletidas nos ambientes, quando iluminadas pela luz natural.
no seu quarto coloque um mensageiro dos ventos, acoplado a um filtro dos sonhos, que afasta pesadelos e os pensamentos negativos durante o sono. Eles podem estimular os bons sonhos e ainda proporcionar uma sensação de bem estar logo ao acordar. Confie na sua intuição ao escolher o mensageiro dos ventos para escolher o que melhor se adapta ao seu estilo de viver e boas vibrações.

Fonte: http://www.casadaspedrasbrasileiras.com.br/mobiles.htm









Exclusividade - Braceletes















Pinturas e mandalas em mdf, mas o que representa a mandala?
Mandala significa círculo em palavra sânscrito. Mandala também possui significados, como círculo mágico ou concentração de energia, e universalmente a mandala é o símbolo da integração e da harmonia.
Durante muito tempo a mandala foi usada como expressão artística e religiosa, através de pinturas rupestres, no símbolo chinês do Yin e Yang, nos yantras indianos, nas thankas tibetanas, nos rituais de cura e arte indígenas e na arte sacra de vários séculos.
No budismo, a mandala é um tipo de diagrama que simboliza uma mansão sagrada, o palácio de uma divindade. Geralmente, as mandalas são pintadas como thangkas (pintura originária do tibet) e representadas em madeira ou metal ou construídas com areia colorida sobre uma plataforma. Quando a mandala é feita com areia, logo após algumas cerimônias é jogada num rio para que as bênçãos se espalhem.

Fonte: http://www.significados.com.br/mandala/



Quadrinho galinha d´angola.
Pintura realizada em mdf com referencial da cultura aqui do Vale do Paraíba.